Mensagens psicografadas

logo 50 anosFundamental se faz algumas explicações.
Toda casa de oração, com tratamento fluídico pela imposição das mãos, é um lar sagrado para os espíritos que ali trabalham.
Desta maneira, a posição de meus Irmãos se faz muito importante.
Relaciono os aspectos emocionais.
Sabendo que é dia de visita a casa espírita faz-se importante a preparação. O passe já se inicia antes. Uma preparação na mente, nos pensamentos, é de elevado valor. Com a força do pensamento no belo, no neutro, e não nos problemas faz com que a vibração se acalme e a receptividade aumente.
Portanto, quanto possível, oração e meditação ajudam muito.
A chegada a casa é outro ponto chave. O silêncio e a quietude da mente ajudam muito os trabalhadores espirituais. Pois, saibam todos, que a energização já se inicia fora da sale de passes. Uma mente calma também faz facilitar a presença de espíritos queridos para uma visita e um afago.
O momento de união com o alto é contínuo, mas aproveitar o ambiente da casa espírita é magnânimo.
A sala ou câmara de passes é o é o momento de grande fluidificação. O momento maior.
Lá se faz a grande chance de recepção total de energias.
Mas para que o irmão não comporte como um espelho que reflete a luz deve-se saber se comportar para o que acontecer.
Pureza mental, silêncio e fé são fundamentais.
O silêncio não está somente na ausência de palavras pela boca.
Mas no silêncio das palavras da mente.
Procurar estar com Deus. Estar em comunhão com os Irmãos Espirituais que lá estão trabalhando. Irmãos que vem trazer para todos o necessário e o merecido.
A boa mente é aquela que se une a Deus. Que silencia para o mundo e ouve apenas o silêncio reconfortante do bem.
A saída da casa espírita deve ser comportada.
E muito importante se faz o pós.
Vir a casa receber ajuda e não se comportar de maneira Cristã no depois, não ajudará em nada. Viver em Cristo é fundamental. Estar com Cristo necessário é.
Que Deus esteja.
Irmã B.
A prece é necessária para uma evolução ajudada.
Assim o orar e vigiar no tempo todo é importantíssimo.
A casa de moradia também deve ser alvo da glória de Deus.
O lar é o ninho da família. O lar é o local de união, de provas e de crescimento.
Assim, importante também se faz o orar na Casa.
Ter um tempo para fluidificar o ambiente de moradia.
Orem e purifiquem o lar.
Aproveitem esse momento para crescer. Aproveitem esse momento para aprender.
Assim é.
Viver em Cristo está no hábito, no jeto de ser e aprender.
Irmã B.
Em campanha pelo Evangelho no Lar.

Meu querido Irmão,
Não esqueça de pedir pelos meus filhos.
Sempre que vier a casa espírita junte-se a eles em pensamento. São seres inocentes que precisam de muita Paz.
Voltei para o lado dos invisíveis, penso neles e peço por eles.
Se fizer, também, aumenta-se a bondade de Deus para com eles.
Tenha-os com carinho.
Peço que ajude-os não só no material, mas também no espiritual.
Ajude-os com conselhos, com palavras e também com vibração.
Obrigado, seu irmão
Ademir.

logo 50 anosAqueles cavalos passaram por cima de mim. Vieram com toda força e vontade.
Não estava preparado para aquilo. Era muito estranho. Comecei a sentir menos a medida que passavam. Parecia que estava me acostumando. A dor parecia estar sumindo.
Deste modo passaram e me levantei tirando a poeira. Ao me virar percebi que havia outra pessoa deitada no chão. Mesmo uniforme de guerra que o meu. Fui até o companheiro para ajudá-lo. Quando me aproximei e fui acordá-lo o susto me pegou. Não era nenhum guerreiro que estava acompanhando o exército. Era a minha pessoa, era meu corpo, era eu. O impulso foi forte. Não sabia o que fazer, não sabia como reagir. Uma agonia me surgiu. Os meus olhos escureceram e fui levado dali. Fui puxado, fui levado.
Do mesmo odo que sai dali acordei posteriormente sem saber onde estava. Uma sonzeira me acompanhava. Não sabia onde estava, não sabia o que estava acontecendo. As correntes que estavam no meu pé se tornaram perceptíveis. O peso das mãos me surgiram. Fiquei mais assustado.
Surgiram vários soldados com lanças para me informar a situação. Comunicaram-me que eu estava prisioneiro, que eu estava no poder deles.
Fiquei sem saber como e por que. Mas comecei a ficar mais perceptível aos acontecimentos. Perguntei o que estava acontecendo e um tapa com luvas de metal me atingiu a face.
-- Cale-se, disse-me o lutador, não diga nada sem lhe ser perguntado.
A dor me tomou uma das faces e senti vontade de chorar, mas não consegui.
-- você, ser nojento. É nosso agora, está aqui a nossa disposição. Vai passar muito mais dificuldades do que nos provocou. Vai sentir o que sentimos, mas com muito mais intensidade, com muito mais dor.
Dali em diante comecei um ardor naquilo que chamava de continuidade da vida.
Fui arrastado pelas bicas, fui escravizado a caminhar sem água. Até leões enfrentei para poder alimentá-los. Muito passei, muito vivi, foi um período difícil.
A mulher que escravizei também estava lá. Mas ao contrário dos outros não me judiava e nem me dava afazeres.
Ela que escravizei no sexo, que passei a usar como um pedaço de carne. Ela simplesmente me olhava, simplesmente me dava olhares que de leve me acalmava.
Ela que já não se vestia como a deixei.
E não muito longe no tempo já era arrastado para os sofrimentos novamente.
Assim fiquei.
Até que em um momento de desespero e muito arrependimento me aliviei.
Sheila e eu nos vimos. Como num ato mágico dali saímos. Ela, a quem judiei, me amava, me dava momentos de oração. Me dava rações para tentar viver. Em um instante saímos dali e acordamos para a realidade da vida muitos e muitos séculos após. Em grande tratamento fiquei, ela não passava tanto como eu. Na realidade estava lá para ajudar. Estava lá para me motivar.
Em colônia Espiritual, séculos após, a claridade do conhecimento surgiu. Eu como poderoso tive escravos, ela foi uma, mas diferente de todos os outros ela me amava. Em vidas anteriores aquela ainda foi minha mãe.
Quantos segredos há entre as vidas. Quantos momentos há entre as vidas. E quantas oportunidades há na vida.
Hoje somos companheiros próximos a nova encarnação.
O verdadeiro Amor nos trouxe para próximos.
Desta vez seremos irmãos gêmeos na lida da bondade para com os outros.
Seremos pobres no dinheiro, mas ricos na caridade.

Sheila e Euclides em companhia dos trabalhadores da casa.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O perdão necessário é.
O perdão razão de existir é.
O perdão claridade faz.
O perdão mudanças causa.
O perdão é razão para a existência.
O perdão é caridade para com o próximo.
O perdão é nossa libertação.
Irmã B.

logo 50 anosQuando pedir a Paz, primeiro busque-a no seu interior.
Busque pelo Amor que está em seu coração.
Nascemos com Paz. Temos a certeza dela ter.
Mas não lembramos em vê-la momento a momento.
Somos seres independentes que dependemos.
Somos seres que raciocinam, mas que temos preguiça.
Somos a Paz, mas não a aceitamos.
Fomos criados para uma vida coletiva. Fomos criados para aprendermos a divisão dos sofrimentos.
A grandeza da junção dos aprendizados.
Mas parece nos afastarmos dessa situação.
Somos levados a deixar o sofrimento tomar seu lugar.
Buscamos a nossa alegria, mas deixamos um pé na tristeza.
Aprendemos, lemos, vemos, mas rapidamente esquecemos.
Simplesmente por que somos mais ligados a vontade de ficarmos parados.
Somos deixados em inercia e lá ficamos se está bom.
É necessário, por vezes, o passar de um sofrimento para o despertar.
É necessário a vida nova. É necessário o aceitar verdadeiro. É necessário o acordar real.
Aceitar é a primeira realidade. Compreender é a segunda. E viver os momentos é o ápice.
Mostrarmos a realidade a nós mesmos é fundamental.
Quando jesus nos passou as mensagens, por exemplos, buscou a melhor forma de ensinar.
Por vezes mostrou a ligação com o pai Celestial. Por mais vezes relatou a existência do ser espiritual.
O nascimento e o renascimento. A morte para a vida. O perdoar para o amo.
Assim é.
Nossa Paz, nossa força, tudo está em nós mesmos.
O necessário é nossa força aumentar. Aumentá-la esta no compreender.
Cada palavra aceita por compreensão é alimento para a vida.
Cada momento de realidade, cada momento de transformação. Cada momento de aceitação, crescimento é!
É a chegada do que pedimos.
Experimentar o conhecimento e tê-lo como alimento para o espírito é fundamental.
Pedir e obter conforme sua certeza no que está vendo, no que está pedindo.
Paz e Luz a todos.

Irmã B.

logo 50 anosO divino semeador

Semeando sem esperar, o homem muitas vezes perdeu o cultivo da planta celeste e deixou de saborear o fruto dulcidio do amor.
O Cristo com seu até ilustre amor, perseverou na plantação bendita do amor, semeando em nossos corações a Sua palavra, mas sem apurar-se na colheita do fruto, fruto este, que somos nós e que neste momento, regar nossa alma plantada com o amor e dá através do Consolador, o adubo para nossa planta começar a florir.
Flori o cravo, floru a rosa, flori a cerejeira, porque por mais tempo que passe, a planta há de florir, de dar frutos.
Muitas vezes a planta mais preciosa toma muitos anos de cultuvo para que seus frutos magistrais possam ser apreciados.
As árvores que não possuem frutas, servem para perfumar, à discutir o caminho por onde está semeada.
Assim, na construção bélica do jardim divino da vida, Deus semeou, pelas mãos de Jesus, plantas sortidas, de frutos variados, para que no banquete do amor não faltassem frtuas à se apreciar.
Irmão, todos somos iguais, porém diferentes, assim como as frutas da natureza, mas todos os frutos com o seu valor.
Alguns disse ainda, outros são refrescantes e outros cítricos.
Pensemos nestas palavras e avaliemos nosso canteiro semeado e cultivemos a certeza de que nosso jardim florido passou pelas mãos divinas e caridosas de Jesus.
Fiquem na paz do Senhor!

Renato Martins

Página 1 de 8

Casa do Caminho - Instituição Espírita Cristã

Rua: Costa do Sol, nº 450
Bairro: Tijuco Preto - São Carlos - SP
CEP 13566-070

facebook twitter

 

 
By iweb