Viesse Jesus novamente

Viesse Jesus novamente a esta Terra, em missão de esclarecimento, de exemplo de conduta correta para a melhoria de todos em direção a Deus.

Nascesse Ele, no entanto, em mísero lugarejo, triste e pobre aldeia da África.

Seria, então, uma criança negra, nua, de grande ventre e pernas fracas. Sua mãe seria uma mulher muito jovem, coberta de feridas causadas pelos sofrimentos e pelo trabalho exaustivo na lida da terra, de escassos recursos, cansada de andar muito em busca de água, em poços poluídos. Iria Jesus, pela mão dessa mãe, que carregaria também outro filho nas costas, ondepousariam moscas.

O que comeria Jesus, com as mãozinhas sujas, sentado no chão batido da choupana?

Já ajudaria a mãe a carregar a vasilha de água, a roçar a terra, tão seca?

E seu pai, quem seria? Um homem que ele veria tão pouco, pois seria um trabalhador que estaria a longa distância da aldeia, para trazer algum recurso para casa. Talvez, seu pai tivesse outras famílias para sustentar.

Então o menino e sua mãe esperariam dias, meses, para revê-lo. Ou quem sabe, seu pai estaria morto, tombado nas guerras fratricidas. Morto em nome de algo que não lhe pertencia.

Ou então, talvez sua mãe também já estivesse morta, abatida pelas doenças mortais que assolam o lugar esquecido por todos, ou pela fome, pela disenteria, pela desnutrição.

Jesus, então, teria qual destino? Lutar pela liberdade do seu povo? Caminhar sem cessar em busca de uma vida melhor? Ou migraria para outros lugares, onde seria chamado de negro imundo, ser atrasado, macaco?

Meu Deus, o que seria do nosso Mestre? Os tempos são cruéis para os humildes, para os pequenos, para os pobres, para os desvalidos.

Pobre Mestre, abatido por muitas formas de crueldade, de preconceito, de

ódio, de opressão.

Poderia Ele nascer novamente na Terra?

Quantos pequenos Jesus já estarão neste mundo e o que fazem os poderosos? Matam de fome, de dor, de medo.

Então, nós pedimos, Jesus Amado, que está nos protegendo, que nos oriente na tarefa de sua casa, para que um dia, se for preciso, ache um lugar puro para nascer.

Casa do Caminho

Reunião do Grupo de Estudo do Livro dos Médiuns de 17/09/2012

Mensagem psicografada por Wanda Gesualdo