Educar

Amigos

A tarefa de educar é das mais nobres atividades do ser humano. Sejam professores ou pais e mães, educar uma criança ou adolescente para a vida não é tarefa fácil.

Sempre se exige dos mestres anos de estudo e formação de carreira para bem servir à profissão de educador dos jovens.

Dos pais, sempre se  espera que tenham leituras ou que baseiem-se em teorias várias para que criem seus filhos, formando bons cidadãos.

Mas, mesmo sendo esses atributos importantes, não há nada que substitua o exemplo vivo, como a forma mais eficaz de educar.

Mil palavras não valem um exemplo, pois as atitudes são vivas e as palavras, muitas vezes, são vazias, sendo mero produto do intelecto.

O exemplo dos pais é, inegavelmente, a base sobre a qual se constrói o futuro dos filhos.

A boa conduta, as atitudes corretas e a sinceridade trazem aos filhos o exemplo do que deve ser seguido.

A criança e o adolescente percebem, muito mais do que se possa imaginar, o que há por trás da palavra, se ela é ou não sincera.

Cobrar dos filhos conduta coerente e agir da maneira oposta é querer que dêem flores em pedras.

Se a conduta dos pais é sabidamente o exemplo para os filhos, não ficam os professores aquém. O professor deve, ao lado das lições, observar, com os olhos do coração, o aluno, principalmente aquele mais difícil.

A atitude amorosa por parte do educador, aliada à firmeza de caráter e à honestidade, que transparece às crianças, servirão de guia para elas, salvando-as, muitas vezes, de um destino e errado e infeliz.

Devem os pais e professores, isto é, os educadores, prezar por conhecer-se e encarar de frente seus erros, corrigindo-se e melhorando suas atitudes perante a vida. Dessa maneira, tornando-se transparentes para os pequenos e  podendo dar-lhes o que de melhor tiverem em si, a sinceridade e o amor fluirão deles, preenchendo os anseios desses que lhes estão sob os cuidados.

Assim agindo, poderão evitar tantos conflitos familiares e sociais, que todos os dias  desencadeiam situações difíceis, crianças  problemáticas que, muitas vezes, chegam às raias da delinqüência.

Preencher os pequenos corações com palavras vãs de nada valerá, se elas não forem acompanhadas pelas atitudes louváveis e corretas dos educadores.

Sendo assim, amem e correspondam aos apelos que  em todos os momentos o Cristo lhes envia, na esperança de evitar-se o pior e  para que as novas gerações possam usufruir do bem e da paz, nesses novos momentos que chegarão, e onde serão necessários seres humanos plenos de força para o bem e capazes de lutar em prol da nova Terra.

Assim esperamos, em Deus.

Casa do Caminho

Grupo de estudo do Livro dos Espíritos- reunião de 12/10/2011

Mensagem psicografada por Wanda Gesualdo