De quantas lágrimas?

Queridos irmãos meus, louvado seja Deus sobre todas as coisas.
Venho queridos meus, falar-vos ao coração, atender a voz do infinito, que de plano a plano, é transmitida de Nós para Vós.
Venho em nome do Cristo, trazer-vos a mensagem Natalina, a palavra Amor, daquele que se fez pequeno para que saíssemos da ignorância.

” Das dores que senti, nenhuma doeu-me mais que a compaixão que sinto por todos vós.
Nenhuma chibatada das quais recebi, doeu-me mais que o olhar de desespero de uma mãe.
A coroa de espinhos que imputaram-me, sangrou menos, que a indiferença que há entre vós outros.
Não inquieteis vossos corações, nenhum dos clavos que me fixaram ao madeiro de dor, deixaram-me sem os braços compassivos de amor.
Assisto-vos dia após dia, tratando, curando e levantando a todos que volvem-me o olhar.
Que em seus corações, compreendeis o lugar onde estais.
Porque ainda doe-te as injúrias de vossos irmãos? A caso as pedras que estiveram sobre Estêvão eram menores que a dor do seu orgulho?
Porque sofreis a matéria da traição, de má vontade? A caso os dias de Paulo já não mais são luzes para vossa estrada?
Assim como a cada discípulo meu, dou-me a vós que agora se servem da minha palavra, também a vós dou do meu coração, pois ouvindo agora, que ouves e vendo, que vejais.
Não se permita pois a desconfiança, pois que esse mundo passará, a terra de hoje, é somente de hoje e amanhã não será mais.
Mas vós outros, sereis sempre aqueles que cujo amor carrego no peito, amor do qual agora através da união fraterna desde o infinito até vós que na matéria estais, faço-vos acercarem-se a mim, pela mesma verdade de outrora.
Não vos peço que façam os prodígios de antes, mas que unam-se e que subam até o infinito, pois para isso nasceste. Não nesta carne que vos envolvem, mas quando o amor do Criador Divino, quis vós abrir os olhos da alma para toda a vida.
Se outrora não me conhecêsseis a mim, eis que agora faço-me ainda mais presente entre vós.
Lembreis pois das minhas palavras: – Pedi e Obtereis, Batei e Abrir-se-vos-á, pois que não há nada em oculto que não se revelará.

Que a Paz seja convosco!”

Psicografia recebida na Casa do Caminho no dia 22/12/2020.